XCOM Board Game – veja nossa opinião depois de 10 partidas

Resenha XCOM Board Game

Em 1994, foi lançado um jogo de computador chamado X-COM. Este foi o jogo que eu mais joguei em toda a minha vida. Você não imagina a minha felicidade quando fiquei sabendo que lançariam uma versão em jogo de tabuleiro.

Eu fiz o que qualquer pessoa faria: comprei o jogo na pré-venda, liguei para meus amigos e fomos para uma casa no interior do Rio, onde ficamos durante todo o final de semana jogando sem parar.

O resultado disso? A maior e mais completa resenha de XCOM Board Game do Brasil. Mas não se preocupe com o tamanho, tem um índice aí embaixo pra você pular logo pra parte que te interessa.

Se você estiver com pressa pra saber o que eu achei, já digo o seguinte:

Vá até sua estante de jogos, pegue todos os seus cooperativos e jogue no lixo. O maior jogo de tabuleiro cooperativo chegou.

Tá, você provavelmente quer saber mais. Então veja o resultado das 10 partidas que jogamos sem parar.

Resenha XCOM Board Game

Retiro no interior

Toda essa resenha foi escrita depois de uma viagem com amigos para Rio de Ostras, no interior do Rio.

Todos nós estávamos empolgados com o lançamento do jogo. Então nós colocamos nossas coisas no carro e fomos pra uma casa bem escondida, numa rua de barro e sem muito contato com o mundo.

Nós ficamos lá jogando (perdendo) e comparando XCOM com outros jogos cooperativos que temos na coleção.

Resenha XCOM Board Game

O que é XCOM Board Game

Quando os primeiros OVNIs apareceram nos céus e começaram a atacar a Terra, países de tudo quanto é canto do mundo se juntarem para financiar o XCOM, uma organização de elite para defender o planeta contra essa força invasora.

Este é um jogo lançado pela Fantasy Flight Games no final do ano passado, mas foi trazido ao Brasil agora no dia 5 de outubro de 2015 pela Galápagos Jogos.

XCOM é um jogo completamente cooperativo para até 4 jogadores. Isso significa que todo mundo está jogando junto com um mesmo objetivo, ao invés de competirem entre si como na maioria dos jogos de tabuleiro.

Este jogo tem dois grandes diferenciais, e um deles causou polêmica.

O primeiro é que o jogo depende do uso de um aplicativo para celular, tablets ou computador. Este aplicativo diz aos jogadores o que fazer e também gerencia o segundo diferencial: as decisões dos jogadores tem tempo cronometrado.

Quando o aplicativo pede a um jogador pra decidir algo, começa uma contagem regressiva de alguns segundos para executar a ação.

Apesar de muita gente ter reclamado, nosso grupo achou muito legal essa ideia de misturar elementos analógicos com digitais.

Estes dois fatores contribuem pra criar uma sensação de tensão que se mantem por todo o jogo. Eu vou voltar nesse assunto em breve.

Resenha XCOM Board Game

O objetivo do jogo

Cada jogador é chefe de um departamento do XCOM, e precisa tomar decisões difíceis sob pressão para manter as operações funcionando e conseguir deter os invasores.

Eu recomendo conversar com seus amigos e dar uma explicação rápida de cada função antes de se sentarem à mesa. Cada um pega o que achar mais interessante.

O tabuleiro é feito pra que as peças referentes a cada função fiquem próximas a uma lateral. Assim já tem o lugar específico pro Comandante sentar, o lugar pro Capitão, e por aí vai.

Todos os departamentos precisam cooperar pra vencer. Se alguém quiser ser mais egoísta ou não prestar atenção nos outros, vão acabar perdendo.

Ah, e não podem levar pro lado pessoal quando o Comandante limitar bastante suas jogadas por causa do orçamento.

Quanto mais os alienígenas conseguirem aterrorizar um continente, mais perto ele fica de entrar em pânico, e menos dinheiro ele dá para o XCOM. Se um continente entrar em pânico de vez, ele abandona o projeto e o financiamento cai drasticamente.

Os jogadores vencem quando conseguem encontrar e destruir a base inimiga. Perdem quando sua própria base for destruída, ou quando dois ou mais continentes entrarem em pânico total.

O jogo é tão difícil e o orçamento tão apertado, que só dá pra vencer se todo mundo se ajudar e prestar atenção no que os outros estão fazendo.
Untitled design (2)

As funções no jogo

Cada jogador é chefe de um departamento do XCOM.

Eu achei muito interessante como o jogo conseguiu fazer com que cada função seja diferente das outras. Você não vai jogar da mesma forma em cada um, não vai tomar decisões da mesma forma, e nem ter as mesmas pressões.

As funções são: Comandante, Diretor Científico, Capitão e Chefe de Operações.

Resenha XCOM Board Game

Comandante: Ele é o cara que vai gerenciar o orçamento. Ele precisa ficar de olho em quanto os outros vão gastar, e vai ficar mandando gastarem menos. Ainda tem que tomar decisões difíceis sobre crises, e decidir pra onde vão enviar as naves que interceptam os OVNIs.

Diretor Científico: Responsável por decidir que pesquisas vão fazer e quantos cientistas vão trabalhar em cada uma delas. As pesquisas são cartas pra outros jogadores, então o resultado das decisões dele vai afetar todos mundo. Todo mundo depende dele pra melhorar suas opções de jogo.

Capitão: Ele cuida dos exércitos do XCOM. Ele precisa dividir suas forças entre defender a base contra ataques alienígenas e realizar missões pra salvar cidades pelo mundo. Nem todo soldado pode ir pra toda missão, então tem que tomar cuidado com isso. Também é ele quem vai liderar o ataque final à base dos alienígenas no final do jogo.

Chefe de Operações: Seu principal papel é operar o aplicativo do jogo. É ele quem vai fazer a interface entre o aplicativo e todos os outros jogadores, avisando de que decisão precisa ser tomada e quanto tempo resta. Também controla os satélites que defendem a órbita da Terra.

Só quando todos eles conseguem operar em conjunto (com um orçamento apertado) é que é possível vencer.

Resenha XCOM Board Game

Pontos Positivos

A dificuldade é bem alta

Eu acredito que jogos cooperativos precisam ser difíceis. Como o grupo enfrenta um conjunto fixo de regras, o jogo vai enjoar rápido se essas regras forem fáceis.

De todas as partidas que jogamos nesse tempo, vencemos apenas uma. Então eu posso dizer que o jogo é difícil, com certeza.

Na nossa primeira partida, fomos derrotados na quarta rodada. Ou melhor, fomos brutalmente massacrados na quarta rodada.

Na terceira partida eu consegui vencer na dificuldade fácil. Mas todo mundo sabe que Fácil não conta, né?

Pra quem começar a dominar o jogo, existem várias outras dificuldades pra escolher. Além da dificuldade Fácil, tem também Normal, Difícil e Avançado. Eu não quero nem saber como é jogar no Avançado.

A contagem regressiva torna o jogo bem tenso

XCOM no computador era um jogo difícil que exigia bastante de você. Parecia que tudo que podia dar errado dava. O jogo de tabuleiro não decepciona.

XCOM Board Game é um jogo tenso.

Uma coisa é poder tomar suas decisões com calma. Outra coisa é ouvir o Chefe de Operações pedir pra você enviar os interceptadores pra defender os continentes, e dizer “você tem 12 segundos”.

Quem é consegue pensar direito em 12 segundos?

Eu escolho 3 pra Europa, 2 pra África. Será que consigo colocar mais um na Ásia? O Comandante está tentando calcular o orçamento, o Chefe de Operações dizendo que faltam cinco segundos, eu paro com um Interceptador na mão e preciso decidir.

Tenso. E divertido.

Resenha XCOM Board Game

Cada função no jogo é bem diferente da outra

Eu tinha o medo de que as funções no jogo seriam quase idênticas, com nomes diferentes. Felizmente eu estava errado.

Cada função é bem diferente da outra. Cada uma tem seus desafios, diferentes coisas pra se preocupar, diferentes decisões a tomar.

O Capitão sozinho precisa impedir que o grupo perca por ter a base destruída. E também precisa se preocupar com qual classe de soldado (atirador de elite, suporte, etc…) é o melhor para resolver cada tipo de combate.

O Chefe de Operações tem a preocupação de ficar de olho no aplicativo, e também em conseguir passar as instruções pros outros. Todo mundo depende dele, e o tempo já começa a correr assim que algo aparece na tela. Se ele demorar pra repassar as instruções, pode ser que não dê tempo.

O Comandante precisa controlar o orçamento de todo, mas o dinheiro não dá pra tudo. Nem perto disso. Não basta ficar de olho nos continentes sendo ameaçados, ele precisa ficar de olho em quanto cada jogador está gastando.

E o Diretor Científico já é bem diferente por não defender o grupo de nada. Mas isso não significa que a função dele é fácil. Ele cria novas cartas de benefícios pra todos os outros jogadores, então todo mundo depende dele. Ele precisa ficar de olho no que está acontecendo com todo mundo pra saber quais cartas vai colocar para pesquisar.

Evita o maior problema de jogos cooperativos: você não tomar suas decisões

Eu adoro a ideia de jogos cooperativos. Mas eu acabo me decepcionando com a maioria dos que jogo.

Descent, Pandemia, Zombicide. Todos eles tem o mesmo problema: quando chega sua vez de agir, todo mundo para e começa a te dizer o que fazer. Anda pra cá, ataca o cara lá, usa tal carta…

Você acaba não podendo tomar suas próprias decisões, elas se tornam decisões do grupo. E depois que você age, é a vez do grupo inteiro tomar as decisões do próximo.

XCOM Board Game impede que isso aconteça. O seu tempo é curto, então não dá tempo de ficar ouvindo os outros. E ainda por cima, os outros jogadores precisam aproveitar o tempo da sua jogada pra planejar as jogadas deles.

Esta é a primeira vez que vejo um jogo resolver este problema. Espero que outros consigam fazer o mesmo.

XCOM - Galápagos

As partidas são bem variadas

Cada partida de XCOM é diferente da outra.

Primeiro de tudo, voce pode escolher o plano dos alienigenas. Tem opções como Ocupação, Infiltração, e outras. Isso já muda a estratégia de ataque deles e o tipo de inimigos que você vai enfrentar.

O jogo também sorteia o continente em que a base do XCOM vai ficar. Cada continente dá habilidades diferentes pra organização. Isso faz com que sua estratégia tenha que ser diferente do que foi antes.

Também tem várias outras variações. Os inimigos são sorteados. O aplicativo determina ações diferentes a cada rodada. As cartas de tecnologia são embaralhadas.

Você precisa lidar com os inimigos que apareceram, usando as tecnologias que tem na mão, tomando cuidado com crises diferentes do que vieram na partida anterior.

Lembra muito o jogo de PC

Você jogou XCOM no computador ou video game? Se já jogou, vai encontrar muita coisa semelhante neste jogo de tabuleiro.

Vários elementos do jogo estão presentes, de uma forma ou de outra. Fragmentos de armas, mira holográfica, xenobiologia, e várias outras.

Eles conseguiram colocar toda a identidade da franquia neste jogo de tabuleiro. Você sente realmente que este é um jogo do XCOM, e não um jogo genérico em que só colocaram o nome.

XCOM: Board Game

As miniaturas tem uma ótima qualidade

A edição brasileira de XCOM Board Game não fica devendo nada em relação à edição americana, que tem miniaturas de excelente qualidade.

O jogo traz miniaturas para os soldados, com visual diferente para cada classe. É muito fácil diferenciar o franco atirador da infantaria pesada, por exemplo.

Também tem os OVNIs e as naves humanas, chamadas de Interceptadores.

Todas as miniaturas tem excelente qualidade e parecem muito resistentes.

Também posso dizer o mesmo para todas as fichinhas de papelão do jogo. Tem fichas de crédito, marcadores de sucesso, marcador de soldado de elite, e outras peças. Todas parecem muito bem duráveis.

Depois de 10 partidas, todos os componentes ainda parecem recém saídos da caixa.

Resenha XCOM Board Game

O tutorial é uma ótima forma de ensinar o jogo

Depois de tudo isso que eu falei sobre o jogo ser tenso, ter decisões difíceis a tomar e ter tempo corrido, pode parecer difícil aprender a jogar.

Não é.

É bem tranquilo aprender as regras, graças ao modo tutorial que tem no aplicativo.

Nesse modo, o aplicativo acompanha os jogadores passo a passo durante as primeiras duas rodadas. Toda hora que tem que tomar uma decisão, ele para a contagem de tempo e explica tudo que você precisa saber para aquela ação.

Depois avança para a próxima e ele para e explica com detalhes. Sem pressão do tempo.

Ele faz isso durante cada momento das duas primeiras etapas. Da terceira em diante, ele coloca o jogo no modo fácil e deixa os jogadores continuarem até o fim.

Essas duas primeiras rodadas sem tempo fazem toda a diferença.

Resenha XCOM Board Game

Pontos negativos

Nenhum jogo é perfeito, e XCOM não está livre de defeitos. Por mais legal que ele tenha sido, eu tenho alguns pontos negativos a mencionar.

Não tem livro de regras

Este é o primeiro jogo de tabuleiro que eu vejo que não tem livro de regras. O único folheto impresso que vem na caixa é um guia rápido de como montar o tabuleiro antes de abrir o aplicativo.

A forma de aprender as regras do jogo é abrir o aplicativo e começar o tutorial. Assim o jogo te acompanha nas duas primeiras rodadas do jogo, explicando as regras passo a passo sem a pressão do tempo. Da terceira rodada em diante, segue com o jogo na dificuldade fácil.

A proposta de um tutorial é interessante, e até existe a opção de consultar detalhes no próprio aplicativo. Mas tem o lado ruim de não ter um livro de regras pra consultar rapidamente quando surge uma dúvida.

A sorte é um dos fatores pro sucesso

Depender demais da sorte é um defeito que me incomoda muito em alguns jogos.  XCOM tem mais sorte do que eu imaginava, mas não a ponto de eu não gostar do jogo.

A chance de obter um sucesso no dado é bem pequena, e você rola poucos dados. Além disso, uma falha no dado alienígena (o dado vermelho de 8 lados) faz com que você perca TODAS as unidades que participaram da tarefa.

Conforme o Diretor Científico pesquisa novas tecnologias, você vai ganhando formas de mitigar o efeito do azar.

Esse ponto não me incomodou muito, mas pode ser um ponto contra pra quem não goste de sofrer com o azar em jogos.

Resenha XCOM Board Game

É complicado colocar iniciantes numa partida com jogadores experientes

O jogo tem uma certa barreira de aprendizado. Quem vai jogar pela primeira vez precisa do passo a passo do tutorial, porque acontece sem a pressão do tempo.

É quase impossível começar uma partida na dificuldade normal com alguém que nunca jogou. Por mais que você tenha explicado as regras, a pessoa vai ficar perdida.

Quando o Chefe de Operações disser “nova tecnologia, 10 segundos” o jogador iniciante vai ficar perdido. Até ele lembrar que “nova tecnologia” quer dizer comprar cartas até ficar com seis delas na mão, o tempo já acabou.

Isso acontecendo várias vezes vai acabar levando à derrota do grupo e pode gerar um clima ruim.

Também não é nenhum grande defeito do jogo ter que colocar todo mundo pra jogar o tutorial de novo. Mas é importante mencionar cada ponto negativo num jogo que não tem muitos.

As decisões a serem tomadas não são muito complexas

Apesar de cada função ter várias decisões a tomar, nenhuma delas é muito profunda.

A seleção de soldados do Capitão é apenas comparar símbolos. Ele tem que colocar uma unidade numa tarefa com símbolos correspondentes. Ou o Comandante, que tem que escolher entre duas crises aleatórias e escolher a menos danosa.

Nenhuma das tarefas é profunda. A dificuldade vem de várias decisões simples tendo que ser feitas num período de tempo bem curto.

Isso não é exatamente ruim. Como falei, o jogo é bem difícil. Só talvez decepcione quem procura um jogo muito profundo.

Resenha XCOM Board Game

Jogar com menos de 4 pessoas é menos divertido

Quando tem menos de 4 jogadores, algum jogador assume mais de uma função. Por mais que o jogo dê um tempo extra pra esse jogador trocar entre suas tarefas, acaba não sendo tão divertido quanto reunir quatro pessoas.

Quanto menos jogadores, menos divertido fica. Só é um ponto negativo para quem planejava jogar com poucas pessoas, mas eu acho que não é difícil encontrar 3 amigos dispostos a jogar.

Conclusão

XCOM Board Game tem defeitos. Mas que jogo não tem? No final das contas, este é o melhor jogo de tabuleiro cooperativo que eu já joguei.

Eu diria que este jogo de tabuleiro aprendeu com os erros de vários outros que vieram antes dele, e conseguiu criar uma experiência nova e emocionante.

Há muito tempo eu não me divertia tanto perdendo em um jogo cooperativo com meus amigos.

Jogar XCOM é desafiante. Você vai ceder à pressão e tomar decisões erradas. Vai ter que parar algo pela metade porque acabou o tempo. Vai querer beber um copo de água antes de começar uma nova rodada.

Eu sei que eu precisei desse copo de água.

Mas quando você finalmente vencer… ah, vai ser fantástico. Vai ser daquelas vitórias que dá vontade de colocar uma música emocionante na caixa de som e soltar fogos como se fosse ano novo.

Eu recomendo XCOM Board Game até pra quem nunca gostou de jogos cooperativos. E recomendo principalmente pra quem adora um bom desafio.

O jogo está disponível por R$269,90 na Loja da Galápagos.

Deixe sua opinião

Esta foi a primeira resenha do site, com 3000 palavras.

Nós gostaríamos de saber o que achou da resenha, e se vale a pena continuar com esse formato super longo e completo com tudo que você pode querer saber do jogo.

E se você jogou XCOM Board Game, deixe sua opinião aí também.

Readers Comments (7)

  1. Muito boa resenha, me tirou as dúvidas e fiquei com mais vontade de jogar! Muito bem!

    Responder
  2. Vou comprar o jogo, porque tambem gostei. Mas…….para ser melhor que Ghost e Battlestar, vai ter que ser um JOGAÇO…………:)

    Responder
  3. Você poderia compara a qualidade da impressão com a versão americana?

    Responder
    • Fernando, eu nunca tive a versão americana em mãos, mas já vi vários vídeos. E eu tenho que te dizer que a versão brasileira me surpreendeu.

      Eu esperava componentes com uma qualidade inferior, até porque já comprei uns mais antigos da Galápagos que eram inferiores à versão americana (provavelmente pra cortar custos). O Quarriors é um exemplo desses, porque os dados são piores. Mas quando o XCOM brasileiro chegou e eu abri a caixa, vi tudo de excelente qualidade.

      Tudo veio num nível que eu espero das versões americanas. Os componentes de plástico, de papelão, os dados, tudo. Esse é um jogo que eu recomendo a versão brasileira com certeza.

      Responder
  4. Muito boa a resenha!!! Eu vi esse jogo, mas tinha desistido de comprar até ver sua materia…
    resultado: Meu jogo já está nos correios… assim que eu jogar, coloco meus comentários aki!!
    Percebi que o ponto mais forte do jogo é realmente cada um poder tomar suas decisões sem interferência da equipe…
    Muito bom!!!

    Responder
    • Que legal que gostou, Seifert. Não vai se arrepender do jogo.

      Depois que jogar, comenta aqui sua opinião ou lá no twitter no meu perfil @regrasjogo.

      Responder

Trackbacks & Pingbacks (1)

  1. Vem aí... XCOM: Board Game

Deixe uma resposta